AÇORES PASSAM DO PAPEL PARA O DIGITAL

Açores passam do papel para o digital

Serviço Regional de Saúde arranca projeto piloto de emissão de Receita Sem Papel

 

Arrancou, na Unidade de Saúde de Ilha Terceira, o projeto piloto de emissão de Receita sem Papel

 

É um caminho que está a mudar uma das formas mais clássicas de relacionamento entre médicos e utentes.

A Receita Sem Papel (RSP) é um novo modelo eletrónico que vem substituir a tradicional receita em papel.

Entrou em vigor no Serviço Regional de Saúde (SRS) no passado dia 16 de janeiro, tendo-se iniciado com um projeto piloto na Unidade de Saúde da Ilha Terceira.

Esta nova forma de prescrição inclui todo o ciclo da receita, desde a prescrição no médico até à dispensa na farmácia.

É mais eficiente, confortável, segura e amiga do ambiente, dado que esta iniciativa pressupõe uma diminuição drástica do uso de papel, garantindo toda a segurança e confidencialidade aos utentes.

A fase piloto, que decorre actualmente nos Centro de Saúde de Angra do Heroísmo e no Centro de Saúde da Praia da Vitória, é o culminar de um longo trabalho promovido pela Saudaçor, SA, para a preparação e adaptação dos sistemas informáticos nas Unidades de Saúde e Farmácias a esta nova realidade.

A seguir à fase piloto, a Receita Sem Papel será alargada a curto prazo a todas as ilhas dos Açores.

Este novo sistema traz grandes vantagens para o utente, já que este poderá optar por dispensar todos os medicamentos ou apenas parte deles, sendo possível levantar os restantes noutras farmácias e noutros dias.

Cada receita será acompanhada de uma mensagem SMS enviada para o telemóvel do utente e de uma mensagem e-mail com as informações relativas à toma dos medicamentos.

Desta forma, as habituais informações impressas em papel, passarão agora a ser facultadas ao utente de forma eletrónica.

Tudo o que o utente precisa fazer é dirigir-se à farmácia, apresentar o seu cartão do cidadão e o código de dispensa recebido na mensagem SMS ou e-mail.

Sempre que se justificar, o médico pode optar pela impressão da guia de tratamento, um documento muito semelhante à atual receita em papel, que fica na posse do utente, e que contém toda a informação necessária à dispensa e instruções de administração dos medicamentos prescritos.

Apesar disso, nenhum utente que não possua cartão de cidadão e que mantenha o seu bilhete de identidade, ou que não tenha facilidade de acesso a email ou telemóvel, ficará impedido de aceder à sua medicação.

As tradicionais receitas em papel não vão desaparecer de um dia para o outro, estando a transição prevista de forma a que ninguém fique inibido de acesso aos seus medicamentos, existindo sempre a possibilidade de impressão da guia de tratamento.

 

IMG_20170130_110404 IMG_20170130_111526 IMG_20170130_112927